À partida


Os teus olhos verão a luz de céus distantes: irás suportar o peso da imagem viva - a tua terra nativa- tal como a pintas em gloriosa falsidade; cursos de água solitários, rochas solenes, aves de rapina em círculos perfeitos.

A traça humana em todo o lugar, caminhos, casas, túmulos, ruinas, do vale mais profundo até onde a vida se encolhe ao respirar rarefeito. Olhas tudo isto, até que as lágrimas te turvem a visão, e tentas manter o antes. A falsidade do brilho, da imagem tratada e composta, continua a desaparecer.

Comentários

Maria disse…
"Acabaste de me ouvir. Atentos levantamos as cabeças,
olhos dilatados movendo-se em alerta.
Num repente o nosso olhar intensifica-se.
Aproximamo-nos como se não houvera senão ar."

Mark Boog

Beijo-te,
Damien Hamson disse…
Sinto o teu respirar nos meus lábios, os teus breves movimentos, cores que se podem ouvir. Os meus lábios encontram o teu sorriso mesmo naquele momento.

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Do meu universo