Os realizadores de sonhos III


Os realizadores de sonhos sobreviveram aos climas gélidos e brotaram por geração espontânea nos climas cálidos. Quem sabe as árvores, os céus azuis, as chuvas torrenciais tiveram algo a ver com isto. A verdade é que estes seres não deixavam de sonhar, de viver e de construir mundos, mundos de homens e mulheres que se chamavam de amantes (de quem ama), que se ensinavam uns aos outros a ler, se consolavam nas mortes, se curavam e tratavam entre si, se desejavam, se ajudavam na arte de querer e na defesa da felicidade.

Comentários

Maria disse…
"O amor junta duas unidades – a Maria João e eu, por exemplo – e faz com que tenham muito mais do que a força de uma só pessoa. Não somos metades. Somos pessoas, cada uma. E quando nos juntamos, porque nos amamos, somos muito mais do que duas pessoas (e muito menos, uma). O amor entre duas pessoas multiplica-as. Os amantes tornam-se uma multidão. O meu amor, a Maria João, salva-me das minhas desgraças por torná-las, por amor, desgraças dela. Não há um meio-caminho. A vida torna-se no que o amor junta."

Miguel Esteves Cardoso

Beijo-te,
El Gato disse…
Hoje venho falar-te, porque tu nasceste comigo e crescemos juntos.

Beijo-te,

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Lua em branco