Onde acontece

Foto: Paul Kohl

Medo de perder ambos, de viver um sem o outro: medo de ficar preso no vento, na neblina, nos passos do dia, na luz do relâmpago, em qualquer parte. Medo que os faz abraçar, unir-se neste ar que agora juntos respiram. E procuram-se, desfazem-se num sopro e encontram-se.

Medo; bendito medo que propicia o desejo e o rapto dos que morrem juntos e logo ressuscitam.

Comentários

Maria disse…
nada estava escrito,
nenhuma verdade comum aos planetas,
éramos só nós sem nenhum segredo,
vivos e completos, serenos, mortais”

António Franco Alexandre

E que belo mundo - a cores - é este o do fotógrafo Paul Kohl.

Beijo-te,
El Gato disse…
E eu respiro, e ando, e caio, e rodo e volto a ver árvores sedentas e pássaros embriagados na música do vento, e estou imóvel e absorto e maravilhado com mais um dia a arder no peito.

Beijo-te,

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Lua em branco