Sentir absoluto



O amor é (também) a absoluta necessidade de sentir-se com o outro, de pensar-se com o outro, de deixar de sofrer a insuportável solidão de quem se sabe vivo e condenado. E assim, procuramos no outro um bater de coração ao nosso compasso, capaz de bater no silêncio entre as palavras do nosso, enquanto corremos pela vida ou a vida corre por nós.

Comentários

Maria disse…
Esse corpo que, de súbito, se tornou infinito. O corpo do meu par deixa de ser uma forma e converte-se numa substância imensa na qual, ao mesmo tempo, me perco e me recupero.
...
Por isso, as imagens poéticas transformam a pessoa amada em natureza - montanha, água, nuvem, estrela, selva, mar, onda - e, por sua vez, a natureza fala como se fosse mulher. Reconciliação com a totalidade que é o mundo. Também com os três tempos. O amor não é eternidade; tão-pouco é o tempo dos
calendários e dos relógios, o tempo sucessivo. O tempo do amor não é grande nem pequeno: é a percepção instântanea de todos os tempos num único, de todas as vidas num instante.

O. Paz in, A Chama Dupla...

Contigo.
Tudo,
Damien disse…
Quando a luz do teu olhar
Perpassa sobre o meu corpo
Nu...
Quando os teus dedos longos
Acariciam a minha pele
Envolvendo-me
Num sentimento rico,
Infinito...
Quando os teus músculos
Contraem-se sob mim,
Elevando-me às estrelas,
À lua, ao prazer...
Quando sorvo o teu sêmen
Doce
Entre carícias e afagos...
Sinto que te amo!

(Amélia Rodrigues)

Contigo.
Tudo,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro