E tu



As sombras, o alento, a vida, logo a luz que de repente entra e tu com ela. Os cegos podem com o tacto comprovar o amado, o meu corpo é todo tacto na tua presença.

Comentários

Maria disse…
Ela diz que quer ser esmagada pelo corpo do homem com o dobro do seu peso. Está deitada na cama, na obscuridade, com os olhos muito abertos. De tronco nu, ele está sentado. Pergunta-lhe sem virar a cabeça: Serás capaz de aguentar? Ela diz que gosta mesmo de se esmagada até perder o fôlego. Depois ri...

A cortina move-se, ele afasta-se. A silhueta da mulher perfila-se na janela. Abre-a, cá fora telhados escuros, ao longe, o encadeado das varandas e das mansardas dos antigos edifícios, o céu azul límpido, embora não se saiba dizer se é o cair da noite ou a manhã. A mulher vira-se, o seu corpo e o seu rosto estão difusos, só os olhos brilham intensamente, como os olhos de gato na escuridão.

[Gao Xingjian in, A Montanha da Alma]

És tu. E eu contigo.
Tudo, cada vez mais.
Damien disse…
Um beijo em lábios é que se demora
e tremem no abrir-se a dentes línguas
tão penetrantes quanto línguas podem.
Mais beijo é mais. É boca aberta hiante
para de encher-se ao que se mova nela.
É dentes se apertando delicados.
É língua que na boca se agitando
irá de um corpo inteiro descobrir o gosto
e sobretudo o que se oculta em sombras
e nos recantos em cabelos vive.
É beijo tudo o que de lábios seja
quanto de lábios se deseja.

[Jorge de Sena]

Inteiros.
Tudo, cada vez mais.

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Lua em branco