De amor



Vivo de ti, de amor por ti, da minha urgência pela tua pele, do meu sentir e da tua boca e do insuportável que sou sem ti. Vivo de ti e de mim, vivo de ambos, de nós.

Comentários

Maria disse…
Seu corpo arderá mansamente sob os meus olhos palpitantes

Seu corpo arderá para mim
sobre um lençol mordido por flores com água.

Nem sempre me incendeiam o acordar das ervas...

- Porém, tu sempre me incendeias.

Entontece meu hálito com a sombra,
tua boca penetra a minha voz como a espada
se perde no arco.

- invento para ti a música, a loucura
e o mar.

Toco o peso da tua vida: a carne que fulge, o sorriso,
a inspiração.

Vou para ti com a beleza oculta,
o corpo iluminado pelas luzes longas.

Digo: eu sou a beleza, seu rosto e seu durar. Teus olhos
transfiguram-se, tuas mãos descobrem
a sombra da minha face. Agarro tua cabeça

- e digo: ouves, meu amor?, eu sou
aquilo que se espera para as coisas, para o tempo -
eu sou a beleza.

Inteira, tua vida o deseja. Para mim se erguem
teus olhos de longe.

Então sento-me à tua mesa. Porque é de ti
que me vem o fogo.

E em ti
principiam o mar e o mundo.

- e tudo circula entre teu sopro
e teu amor. As coisas nascem de ti
como as luas nascem dos campos fecundos,
os instantes começam da tua oferenda
como as guitarras tiram seu início da música nocturna.

Com minha face cheia de teu espanto e beleza,
eu sei quanto és o íntimo pudor
e a água inicial de outros sentidos.

És tu que me aceitas em teu sorriso, que ouves,
que te alimentas de desejos puros.

- beijarei tuas mãos fecundas, e à madrugada
darei minha voz confundida com a tua.

Estás profundamente na pedra e a pedra em mim,

Beijar teus olhos será morrer pela esperança.

- Eu devo rasgar minha face para que a tua face
se encha de um minuto sobrenatural,
devo murmurar cada coisa do mundo
até que sejas o incêndio da minha voz.

Por isso é que estamos morrendo na boca
um do outro. Por isso é que
nos desfazemos no arco do verão, no pensamento
da brisa, no sorriso, no peixe,

- descubro tuas mãos, ergue-se tua boca
ao círculo de meu ardente pensamento.

Onde está o mar? Aves bêbedas e puras que voam
sobre o teu sorriso imenso.

Beijarei em ti a vida enorme, e em cada espasmo
eu morrerei contigo.

[H.H.]

Imenso, tudo.
Em ti, toda.
Damien disse…
O luar batia sobre o meu alhear-me...
– noites-lagoas, como éreis belas
– sob terraços-lis de recordar-me!...

Idade acorde de inter-sonho e Lua
Onde as horas corriam sempre jade,
Onde a neblina era uma saudade,
E a luz – anseios de Princesa nua ...

Balaústres de som, arcos de amar,
Pontes de brilho, ogivas de perfume...

[Mário de Sá Carneiro]

Em ti, todo, imenso, imerso.

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Lua em branco