Fala o vento



O vento falou toda a manhã uma língua extraordinária. Fui hoje com ele. Estremeci as árvores. Fiz espuma no rio. Levantei areia. Entrei pelas finas rendinhas. Tu sorrias para mim.

Comentários

Maria disse…
entre o arvoredo sereno e alta nuvem...

tu surges a sorrir, deus desejante,
com a brisa matinal, a ver-me despertar;

e a sorrir eu desperto também
para este sonho em vigília que me chama.

esta certeza que me ocupa agora
o meu dia com minha noite,
a minha noite com meu dia.

e agora, transformado o sonho em acto,
que dinamismo me levanta
e me obriga a crer que isto que faço
é o que posso, devo, desejo fazer;

este trabalho tão saboroso de falar de ti,
de falar de mim de todas as maneiras, na forma
que me restou de todas, para ti!

[J.R.Jímenez]

Tu, assim.
Tua,
Damien disse…
Não há nada
que disfarce
de ti aquilo que vejo

Em torno um mar
tão revolto
no cume o cimo do tempo

E os lençóis desalinhados
como se fosse
de vento

[M.T. Horta]

De ti, assim.

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro