Agora a luz



A luz recua; esticas-te com as mãos a tactear, enquanto as terras que atravessas se escondem da tua vista, misteriosas, dobradas em noite profunda. Não te importas, de todas as exigências queres agora a luz. E ali fica. Nunca conseguirás agarrar este brilho fugaz, a sua chama morreria se fosse apanhada, o seu valor é aquele que sempre pareceu ter sido.

Atormentado, mas iluminado, és levado ao desconhecido. Não estás a sonhar.

Comentários

Maria disse…
Era a tarde mais longa de todas as tardes que me acontecia. Eu esperava por ti, tu não vinhas, tardavas e eu entardecia. Era tarde, tão tarde, que a boca tardando-lhe o beijo morria. Quando à boca da noite surgiste na tarde... Quando nós nos olhámos, tardámos no beijo que a boca pedia e na tarde ficámos, unidos, ardendo na luz que morria...

[Ary dos Santos]

E assim amanhecemos.
Tua,
Damien disse…
Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde.

[C.D.de Andrade]

E assim aprendemos.
Teu,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro