Nada é mais nosso



Nunca é o mesmo crepúsculo púrpura; nunca é o mesmo dia quente de verão. A tua vida deve sabê-lo. Nunca mais as mesmas ilusões que chegam sozinhas à juventude; nunca por acaso belos ideais de amor e verdade.

Nunca o mesmo momento transcendente para elevar com palavras amáveis ou actos generosos, ou o sorriso, o coração do mortal agitado pelo sentir. Nunca o mesmo inspirado empenho com o qual nos completamos; nunca a mesma grande viagem a que chamamos vida.

Nunca o mesmo extâse de amar o humano: aproveito por tudo isto o presente contigo, com todos os seus (nossos) irrepetíveis momentos – nada é mais nosso.

Comentários

Maria disse…
E se um desejo tenho especial
é isso: amá-lo até tudo acabar.

[J.C.Bloem]

Tua,
Damien disse…
O amor bate na porta
o amor bate na aorta,
fui abrir e me constipei.
Cardíaco e melancólico,
o amor ronca na horta
entre pés de laranjeira
entre uvas meio verdes
e desejos já maduros.

[C.D.de Andrade]

Corações constipados...
Teu,

Mensagens populares deste blogue

Lua em branco

Deslamento

Quatro