O beijo VIII


Richard Avedon

E podem culpar-me por eu o ter feito? Eu não sinto o mais pequeno arrependimento por este beijo roubado. Os olhos brilhantes que me digam isso: não rouba quem leva um beijo. Deixa a natureza em ti sussurrar o consentimento. Não somos todos feitos de pó? E tu, tu és onde me moldo.

Cai agora o olhar revelador, até eu me curvo para não o perder; nem aos lábios que antecipam o início do desejo.

Comentários

Maria disse…
a minha miúda é alta de olhos duros e longos
assim de pé, com as suas longas e duras mãos guardando
silêncio no seu vestido, bom para dormir
é o seu longo e duro corpo cheio de surpresas
qual branco arame electrificado, quando sorri
um duro e longo sorriso isso às vezes faz
crescer alegremente em mim ardentes comichões,
e o frágil ruído dos seus olhos facilmente aguça
a minha impaciência até à ponta - a minha miúda é alta
e tesa, com pernas finas tal qual uma trepadeira...

quando vamos para a cama
com estas pernas começa a lançar-se e a enroscar-se
à minha volta, e a beijar-me o rosto e a cabeça...

[e.e. cummings]

Beijo-te,
Damien disse…
i carry your heart with me(i carry it in
my heart)i am never without it(anywhere
i go you go,my dear; and whatever is done
by only me is your doing,my darling)
i fear
no fate(for you are my fate,my sweet)i want
no world(for beautiful you are my world,my true)
and it's you are whatever a moon has always meant
and whatever a sun will always sing is you

here is the deepest secret nobody knows
(here is the root of the root and the bud of the bud
and the sky of the sky of a tree called life;which grows
higher than the soul can hope or mind can hide)
and this is the wonder that's keeping the stars apart

i carry your heart(i carry it in my heart)

[e.e. cummings]

beijo-te,

Mensagens populares deste blogue

Verdade

Limpeza

Lua em branco